As Normas de publicação dos textos finais resultantes do 13.º Congresso da AIL estão disponíveis no sistema de gestão do evento. A data limite para submissão é dia 15 31 de outubro de 2021.

A AIL não publica, na tradição recente, Atas. Edita, no entanto, os trabalhos reelaborados de acordo com os debates ocorridos no Congresso, e que serão submetidos a avaliação dupla por pares anónimos. A publicação será realizada em livros temáticos com ISBN próprio, prevendo-se publicação simultânea online.

A Comissão Científica pretende que estes livros temáticos possam ser editados tão breve quanto possível, para assim corresponder à atualidade científica dos contributos. Para isso, os autores das comunicações deverão enviar o texto final respeitando o formato abaixo definido e não excedendo o número máximo de palavras previsto. O texto definitivo de cada artigo será submetido a dupla avaliação cega por pares. Uma vez aceites, os artigos serão publicados nos livros temáticos.

As versões finais devem ser submetidas online no sistema de gestão do congresso, em formato editável (.doc, .odt) até 15 31 de outubro de 2021. Os trabalhos que forem enviados para além desta data não serão considerados.

Normas para a submissão de trabalhos

Só serão aceites os textos que sigam rigorosamente as normas estabelecidas.

Se necessitar de quaisquer esclarecimentos adicionais, ou no caso de haver dificuldades no momento de submissão de documentos, contacte-nos pelo endereço Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar..

Com os melhores cumprimentos,
Valeria Tocco, Coordenadora da Comissão Científica

Anexos:
Fazer download deste ficheiro (Normas-de-Publicação-13-AIL.pdf) Normas de publicação dos textos finais605 kB57 Downloads

Já está disponível, em acesso aberto, no portal da Veredas — Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, uma nova edição:

Veredas n. 35

DOI: https://doi.org/10.24261/2183-816x0035

Já está disponível, em acesso aberto, no portal da Veredas — Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, uma nova edição:

Veredas n. 34

DOI: https://doi.org/10.24261/2183-816x0034

Já está disponível, em acesso aberto, no portal da Veredas — Revista da Associação Internacional de Lusitanistas, uma nova edição:

Veredas n. 33

DOI: https://doi.org/10.24261/2183-816x0033

Na primavera de 2020, a Associação Internacional de Lusitanistas (AIL) foi convidada para integrar a Comissão Técnica da Linha de apoio à tradução e edição (LATE), criada nesse mesmo ano, que resulta da fusão do programa de apoio à tradução da Direção Geral do Livro, dos Aquivos e das Bibliotecas (DGLAB), que esteve ativo durante mais de 30 anos, e do programa de apoio à edição do Camões, IP.

A Comissão Técnica da LATE integra representantes da DGLAB, do Camões, IP, da Associação Portuguesa de Escritores e da Associação Internacional de Lusitanistas.

A LATE destina-se a editoras estrangeiras e nacionais e apoia a tradução e edição no estrangeiro de obras escritas em língua portuguesa por autores portugueses e por autores dos Países africanos de língua portuguesa (Angola, Moçambique Cabo Verde, São Tomé, Guiné-Bissau ) e de Timor.  

Nessa primeira edição do Programa, a Commissão Técnica elaborou uma lista de Obras referenciais da Literatura Portuguesa (http://dglab.gov.pt/late-linha-apoio-traducao-edicao/) que poderão ser privilegiadas nos projetos a serem submetidos pelas editoras candidatas.

Os resultados com a lista das obras apoiadas podem ler-se aqui: https://www.instituto-camoes.pt/images/pdfs/lista_obras_apoiadas_para_nota_site.pdf

O êxito da primeira edição do Programa LATE foi enorme como testemunham esses dados fornecidos pelo Instituto Camões e pela DGLAB:

152 projetos editoriais de editoras de 44 países vão ser apoiados, Entre as 28 línguas das diversas candidaturas, o espanhol lidera, com 42 títulos, seguido do italiano (16), do inglês (15) e do croata (nove). A par do crescimento no número de línguas europeias para que remete a maioria das candidaturas (21, com novas línguas como o albanês ou o estónio), verifica-se o aumento de línguas de outros contextos geográficos como o tailandês, o coreano ou o farsi.

As editoras de países como Itália (14 candidaturas), Espanha (9), França (7) ou Croácia (10) continuam a assumir forte presença no programa, mas verificou-se um crescimento de candidaturas de países da América Latina, como a Colômbia (8 candidaturas), o México (10) e a Argentina (oito).

A nova edição do Programa LATE recebe candidaturas até Março de 2021.